SAÚDE   |   Agentes do Núcleo de Controle de Vetores: eles fazem um trabalho importante e ajudam você no dia a dia
09/06/2014 - 10:49:13

[Foto: O agente atua também como um detector de fatores de risco para presença de roedores, animais peçonhentos, como escorpiões e aranhas, outros vetores como o caramujo africano, dentre outros, e passa ao munícipe orientações para seu controle / CRÉDITO: ADILSON LOPES]

A dona de casa sabe muito bem a importância de manter uma casa limpa, assim como muitos homens, que hoje em dia realizam serviços domésticos, também reconhecem a necessidade de cuidar corretamente de sua residência, protegendo dessa forma, toda a família de animais que podem causar algum tipo de doença.

Para ajudar nessa tarefa, a Secretaria Municipal de Saúde conta com funcionários que atuam no Núcleo de Controle de Vetores e têm, como principal função, vistoriar o imóvel para detectar e eliminar possíveis focos do mosquito Aedes Aegypti.

“É também função deles orientar o morador sobre as precauções a serem tomadas em suas residências, para prevenir a proliferação do mesmo, impedindo assim, a transmissão da dengue no município. O agente atua, ainda, como um detector de fatores de risco para presença de roedores, animais peçonhentos, como escorpiões e aranhas, além de vetores como o caramujo africano, dentre outros, e passa ao munícipe orientações para seu controle”, comenta a coordenadora do setor, Milena Balthazar de Souza Ribeiro.

Atualmente, no município de Sertãozinho há 50 agentes. A equipe conta com supervisores de campo, um responsável pelo almoxarifado e três agentes de apoio administrativo. “Eles estão uniformizados com camiseta verde do Controle de Vetores, e crachá de identificação com a logomarca da Prefeitura de Sertãozinho, constando os seguintes dados: nome completo, número da matrícula, data de admissão, tipo sanguíneo e departamento pertencente. No momento, estamos também utilizando a camiseta cor amarela, em comemoração à Copa, na Campanha ‘Seleção contra a Dengue’", declara a coordenadora.

De acordo com Milena, “o agente é rotulado e, muitas vezes, hostilizado como um indivíduo ocioso ou invasivo, pela natureza de seu trabalho, que se torna repetitivo devido às pendências (imóveis fechados), ou pelo fato de que, enquanto existe o risco da transmissão da dengue no local, os mesmos têm de estar investigando e eliminando os criadouros. Em função disso, muitos munícipes confundem ou não entendem essa insistência do trabalho no local. Acho que seria importante o estreitamento de laços entre a população e os agentes de controle de vetores”, explicou. Ela prossegue: “acredito que, se unirmos forças, teremos ótimos resultados. Combater a dengue é o nosso maior objetivo”.

Fiquei na dúvida, o que faço?
Uma dica importante da coordenadora: “caso o munícipe sinta-se desconfortável com a presença do agente, peça o crachá de identificação e, se necessário, ligue no Núcleo de Controle de Vetores (3945-5369), para verificar se está sendo realizado algum trabalho em seu bairro ou solicitar informações sobre o agente. Estamos sempre à disposição para auxiliar a população no que for preciso”, conclui Milena.

(Assessoria de Comunicação PMS)



 
 
 
Todos os direitos reservados a Comunitária FM