Cigarro responde por 90% dos casos de câncer de pulmão   |   Uso do tabaco também pode desencadear até 50 outras doenças
23/08/2013 - 15:14:40

Quando se trata de uso do tabaco, as estimativas podem ser assustadoras: fumar causa, pelo menos, 14 tipos diferentes de câncer; 90% dos casos de neoplasias malignas do pulmão estão diretamente relacionados ao cigarro; quem fuma tem de 15 a 30 vezes maior risco de desenvolver um tumor pulmonar. E não é à toa, já que um único cigarro possui mais de quatro mil substâncias tóxicas, das quais 60 são comprovadamente cancerígenas.

Os problemas não param por aí. Além do câncer, mais de 50 outras doenças podem ser desencadeadas pelo consumo de cigarro, entre elas asma, bronquite, enfisema pulmonar, trombose, doença coronariana e até mesmo infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral (derrame).

Quem não fuma também não escapa das estatísticas. O oncologista do Serviço de Tórax do Hospital Erasto Gaertner, Vinícius Basso Preti, faz um alerta para aqueles que convivem com tabagistas: “Os chamados fumantes passivos têm risco 30% superior de desenvolver um câncer de pulmão quando comparados com os que ficam longe da fumaça”.

Se considerarmos as crianças que convivem com fumantes, o cenário também não é nada positivo. “Elas têm três vezes mais chances de desenvolver problemas respiratórios”, diz o especialista. Os pequenos, especialmente os mais novos, são muito prejudicados quando expostos à fumaça do tabaco.

“Crianças que vivem com fumantes em casa apresentaram maior incidência de pneumonia, bronquite, exacerbação de asma, infecções do ouvido médio, além de elevada probabilidade de desenvolvimento de doença cardiovascular na idade adulta”, acrescenta Preti.

CONSUMO
Considerado pela comunidade médica uma doença gravíssima, o tabagismo atinge cerca de 1,3 bilhão de pessoas em todo o mundo, sendo 25 milhões no Brasil, o que representa mais de 15 bilhões de cigarros consumidos diariamente.

A CADA HORA
No Brasil, 23 pessoas morrem vítimas de doenças associadas ao cigarro a cada hora. São mais de 200 mil mortes por ano. Em escala global, esse número salta para 6 milhões. A estimativa não é nada positiva: a projeção é que os índices dobrem até 2030.



 
 
 
Todos os direitos reservados a Comunitária FM